Pato Mandarim

Pato Mandarim

Casal
R$ 560,00

Femea
R$ 300,00

Macho
R$ 300,00


GALERIA DE IMAGENS



DESCRI«√O


Pato Mandarim

O Pato mandarim (Aix galericulata), ou apenas o mandarim, √© um pato empoleirado, uma esp√©cie encontrada no leste da √Āsia. √Č de tamanho m√©dio, com 41-49 cm de comprimento e 65-75 cm de envergadura. Como o outro membro do g√™nero Aix, tem uma rela√ß√£o pr√≥xima com o pato-carolino norte-americano.

 

Descrição

O macho adulto é uma ave impressionante e inconfundível. Tem um bico vermelho, um grande crescente branco acima dos olhos e um rosto avermelhado, bem como "bigodes". O peito é roxo com as duas barras brancas verticais, e os flancos corados, com as duas "velas" laranja na parte de trás.

A f√™mea √© similar ao pato-carolino f√™mea, com um olho-anel branco e tarja a correr  a partir do olho, mas √© mais p√°lida abaixo, tem uma pequena listra branca no flanco, e uma ponta p√°lida no seu bico.

Tanto os machos como as fêmeas têm cristas, mas são mais pronunciadas nos machos. Os patinhos desta espécie são quase idênticos em aparência aos patinhos-carolino e são muito similares aos patinhos selvagens. Os patinhos podem ser distinguidos dos selvagens, pois a listra nos olhos que é apanágio dos patinhos mandarim (e patinhos carolino) pára nos olhos, enquanto que nos patinhos selvagens chega até ao bico.

 

Muta√ß√Ķes

Existem v√°rios tipos de muta√ß√Ķes dos patos mandarim encontradas em cativeiro. A mais comum √© a do pato mandarim branco. Apesar da origem desta muta√ß√£o ser desconhecida, presume-se que o constante pareamento de aves relacionadas e reprodu√ß√£o seletiva levaram a combina√ß√Ķes gen√©ticas recessivas que conduziram a condi√ß√Ķes gen√©ticas, que incluem o albinismo.

 

Distribuição e habitat

A esp√©cie foi outrora generalizada no leste da √Āsia, mas exporta√ß√Ķes de grande escala e a destrui√ß√£o do seu habitat na floresta reduziram significativamente as popula√ß√Ķes na R√ļssia oriental e na China para menos de 1.000 pares em cada pa√≠s; o Jap√£o, no entanto, julga-se ainda ter 5.000 pares. As popula√ß√Ķes asi√°ticas s√£o migrat√≥rias, hibernando nas terras baixas da China oriental e no sul do Jap√£o.

Os esp√©cimes escapam com frequ√™ncia de cole√ß√Ķes e no s√©c. XX uma grande popula√ß√£o selvagem foi estabelecida na Gr√£-Bretanha; mais recentemente, pequenos n√ļmeros reproduziram-se na Irlanda, concentrados nos parques de Dublin. Existem agora cerca de 7,000 na Gr√£-Bretanha e outras popula√ß√Ķes no continente europeu, sendo que a maior fica na regi√£o de Berlim. Popula√ß√Ķes isoladas existem nos Estados Unidos. A cidade de BlackMountain, na Carolina do Norte, tem uma popula√ß√£o limitada e existe uma popula√ß√£o livre, selvagem, de v√°rias centenas destes patos em Sonoma County, Calif√≥rnia. Esta popula√ß√£o √© o resultado da fuga de v√°rios patos mandarim do cativeiro e da sua posterior reprodu√ß√£o na natureza.

Os habitats que prefere na sua √°rea de reprodu√ß√£o s√£o as extremidades densas, arbustivas e florestadas de rios e lagos. Ocorrem principalmente em √°reas baixas, mas podem-se reproduzir tamb√©m em vales e em altitudes que podem ir at√© aos 1,500 m. No inverno, ocorre tamb√©m p√Ęntanos, campos alagados, bem como em rios abertos. Embora prefira √°gua doce, podem tamb√©m ser vistos em lagoas costeiras e em estu√°rios. Na sua √°rea europeia introduzida, ele vive em habitats mais abertos do que a sua √°rea nativa, perto das extremidades de lagos, v√°rzeas, bem como de √°reas de cultivo com madeiras perto.

 

Comportamento

Na natureza, os patos mandarim reproduzem-se em √°reas densamente arborizadas, perto de lagos rasos, p√Ęntanos ou lagoas. Eles nidificam em cavidades em √°rvores perto de √°gua e, durante a primavera, as f√™meas colocam os ovos na cavidade das √°rvores ap√≥s o acasalamento. Um √ļnico punhado entre 9 a 12 ovos s√£o colocados em abril ou maio. Apesar do macho poder defender a f√™mea na ninhada, bem como os ovos durante a incuba√ß√£o, ele pr√≥prio n√£o incuba os ovos e parte antes de eles eclodirem. Pouco depois da eclos√£o dos patinhos, a m√£e voa para o ch√£o e treina os patinhos a pular do ninho. Ap√≥s todos os patinhos estarem fora da √°rvore, eles ir√£o seguir a sua m√£e at√© a um corpo de √°gua nas proximidades.

 

Alimentação

Os mandarins alimentam-se por se intrometerem ou andarem na terra. Eles comem principalmente plantas e sementes, especialmente mastro de faia. Esta esp√©cie ir√° tamb√©m adicionar carac√≥is, insetos e pequenos peixes √† sua dieta. A dieta de um pato mandarim muda de acordo com as esta√ß√Ķes; no outono e inverno, eles comem essencialmente bolotas e gr√£os. Na primavera, eles comem acima de tudo insetos, carac√≥is, peixes e plantas aqu√°ticas. No ver√£o, eles comem vermes, pequenos peixes, r√£s, moluscos e pequenas cobras. Eles alimentam-se principalmente pr√≥ximo do amanhecer ou anoitecer, ficando empoleirados nas √°rvores ou no ch√£o, durante o dia.

 

Ameaças

A predação do pato mandarim varia entre as partes diferentes da sua escala. O vison, o cão-mapachem, a lontra, a doninha, a coruja de águia euro-asiática e a serpente de grama são os predadores do pato mandarim. A maior ameça ao pato mandarim, contudo, é a perda de habitat devido aos madeireiros. Os caçadores são também uma ameaça, porque muitas vezes não reconhecem o mandarim em voo e, como resultado, muitos são mortos por acidente. Estes patos não são caçados por alimento, todavia são mesmo assim caçados, pois a sua extrema beleza é valorizada.

 

 

Na cultura

Cultura Chinesa

Os patos mandarim s√£o referidos pelos Chineses como Yuan-yang, em que yuan e yang significa patos mandarim macho e f√™mea. Na cultura tradicional chinesa, os patos mandarim s√£o vistos como casais duradouros, ao contr√°rio de outras esp√©cies de patos. Da√≠ serem considerados um s√≠mbolo do afeto conjugal e fidelidade, e est√£o presentes frequentemente na arte chinesa. Um prov√©rbio chin√™s para casais apaixonados usa o pato Mandarim como met√°fora: ‚ÄúDois patos mandarim brincando na √°gua‚ÄĚ. Um s√≠mbolo do pato mandarim √© tamb√©m usado nos casamentos chineses, porque na erudi√ß√£o chinesa, eles simbolizam a fidelidade e felicidade no casamento. Como as plumagens do pato mandarim macho e f√™mea s√£o t√£o distintas, o yuan-yang √© frequentemente usado no canton√™s coloquial para significar ‚Äúcasal estranho‚ÄĚ ou ‚Äúpar improv√°vel‚ÄĚ ‚Äď uma mistura de dois tipos diferentes da mesma categoria. Por exemplo, a bebida yuanyang e o arroz frito yuan-yang.

 

Cultura coreana

Para coreanos, o pato mandarim representa a paz, fidelidade, e boa descend√™ncia. Semelhante aos chineses, eles acreditam que estes patos acasalam para vida. Por estas raz√Ķes, pares de patos mandarim, chamados de patos de casamento, s√£o muitas vezes dados como presentes de casamento e desempenham um papel significativo no casamento coreano.