Marreco Carolina

Marreco Carolina

Casal
R$ 350,00

Fêmea
R$ 200,00

Macho
R$ 200,00


GALERIA DE IMAGENS



DESCRI«√O


 

Pato-carolino / Marreco Carolina
O Pato-carolino (Aixsponsa) √© uma esp√©cie de pato empoleirado encontrado na Am√©rica do Norte. √Č uma das aves aqu√°ticas mais coloridas da Am√©rica do Norte.
 
 
Descrição
 
O pato-carolino é um pato empoleirado de porte médio. Um adulto típico varia entre os 47 até aos 54 cm em comprimento, com uma envergadura de asa que fica entre os 66 até aos 73 cm. Isto representa cerca de três quartos do comprimento de um pato selvagem adulto. Partilha os seus genes com o pato mandarim asiático (Aixgalericulata).
 
O macho adulto tem a uma plumagem iridescente e multicolorida distinta, e olhos vermelhos, com um toque distintivo branco para baixo do pescoço. A fêmea, menos colorida, tem um olho-anel branco e uma garganta esbranquiçada. Ambos os adultos têm cabeças com crista.
O apelo do sexo masculino é um apito crescente, jeeeeee; as fêmeas proferem uma tirada prolongada, um guincho a subir de tom, fazem weepweep, quando em velocidade, bem como um forte cr-r-ek, cr-e-ek para uma chamada de alarme.
 
 
Comportamento
 
O seu habitat de reprodu√ß√£o consiste de p√Ęntanos arborizados ou n√£o, lagos rasos, lagoas e riachos no leste da Am√©rica do Norte, na costa oeste dos Estados Unidos e do M√©xico ocidental. Eles geralmente nidificam em cavidades em √°rvores pr√≥ximas √† √°gua, embora eles possam tirar proveito de caixas de nidifica√ß√£o em zonas h√ļmidas, se estiverem dispon√≠veis. As f√™meas alinham os seus ninhos com penas e outros materiais suaves, e a eleva√ß√£o fornece alguma prote√ß√£o dos predadores. Ao contr√°rio da maior parte dos outros patos, o pato-carolino tem garras afiadas para empoleirar-se em √°rvores e pode, em regi√Ķes do sul, produzir duas ninhadas numa √ļnica esta√ß√£o ‚Äď o √ļnico pato norte-americano que o pode fazer.
As f√™meas normalmente deitam entre 7 a 15 ovos que incubam por uma m√©dia de 30 dias. Contudo, se as caixas de nidifica√ß√£o forem colocadas demasiado pr√≥ximas, as f√™meas podem deixar ovos nos ninhos dos seus vizinhos, o que pode levar a ninhos que cont√™m at√© 30 ovos e a uma incuba√ß√£o sem sucesso, um comportamento conhecido como ‚Äúninho de dumping‚ÄĚ.
Ap√≥s a eclos√£o, os patinhos saltam do ninho na √°rvore e percorrem o seu caminho at√© √† √°gua. A m√£e chama-os at√© ela, mas n√£o os ajuda de nenhuma forma. Eles preferem nidificar sobre a √°gua para que os jovens tenham uma aterragem suave, mas podem nidificar at√© 140 m de dist√Ęncia em rela√ß√£o √† costa. Um dia depois de eclodirem, os jovens sobem para a entrada do ninho e pulam para o ch√£o Os patinhos podem nadar e encontrar a sua pr√≥pria comida por esta altura.
Estas aves alimentam-se por gatinharem ou andarem na terra. Eles comem essencialmente bagas, bolotas e sementes, mas também insectos, os que os torna onívoros.
 
 
Distribuição
 
Estas aves s√£o residentes anuais em partes da sua escala do sul, mas as popula√ß√Ķes do norte migram para sul, para o inverno. Eles passam o inverno no sul dos Estados Unidos, perto da costa do Atl√Ęntico. 75% dos patos-carolino na rota migrat√≥ria do Pac√≠fico s√£o sedent√°rios. Eles s√£o tamb√©m populares, devido √† sua plumagem atrativa, em cole√ß√Ķes aqu√°ticas e, como tal, s√£o frequentemente registadas na Gr√£-Bretanha, como popula√ß√Ķes em fuga ficaram temporariamente estabelecidas em Surrey no passado, mas n√£o s√£o considerados como auto-sustent√°veis da mesma forma que o pato mandarim. Dada a sua distribui√ß√£o nativa, a esp√©cie √© tamb√©m uma potencial vagabunda natural para a Europa Ocidental e j√° houve registos em √°reas como Cornwall, Esc√≥cia e as Ilhas Scilly, o que alguns observadores consideram poder ser relacionado com as aves selvagens; contudo, devido √† popularidade do pato-carolino em cativeiro seria extremamente dif√≠cil provar a sua proveni√™ncia de uma forma ou de outra. Existe uma pequena popula√ß√£o selvagem em Dublin.
 
 
Conservação
 
A popula√ß√£o do pato-carolino estava em s√©rio decl√≠nio no final do s√©c. XIX como resultado de uma severa perda de habitat e mercado da ca√ßa quer pela carne, quer pela plumagem para o mercado de chap√©us para senhoras, na Europa. Pelo in√≠cio do s√©culo 20, os patos-carolino tinham virtualmente desaparecido de grande parte da antiga escala. Em resposta do Tratado das Aves Migrat√≥rias estabelecido em 1916 e promulga√ß√£o do Tratado de Aves Migrat√≥rias de 1918, nos Estados Unidos, as popula√ß√Ķes do pato-carolino come√ßaram a recuperar lentamente. Ao acabar com a ca√ßa n√£o regulamentada e atrav√©s de medidas para proteger o habitat remanescente, as popula√ß√Ķes desta esp√©cie come√ßam a recuperar em 1920. O desenvolvimento da caixa de nidifica√ß√£o artificial na d√©cada de 30 deu um impulso adicional √† produ√ß√£o do pato-carolino.
Os propriet√°rios de terras, bem como administradores de parques, podem encorajar os patos-carolino atrav√©s da constru√ß√£o de caixas de nidifica√ß√£o para os mesmos perto de lagos, lagoas e riachos. Fulda, no Minnesota, adotou o pato-carolino como a mascote n√£o oficial, e um grande n√ļmero de caixas de nidifica√ß√£o pode ser encontrado na √°rea.
A expans√£o da popula√ß√£o de castores norte-americanos ao longo da escala do pato-carolino tamb√©m ajudou a popula√ß√£o a recuperar, uma vez que os castores criam uma √°rea h√ļmida ideal como habitat para os patos-carolino.
A popula√ß√£o do pato-carolino aumentou significativamente nos √ļltimos anos. O aumento foi devido ao trabalho de muitas pessoas que constru√≠ram caixas para os mesmos e ao trabalho de conserva√ß√£o do habitat vital para os patos-carolino se reproduzirem. Durante a √©poca das aves aqu√°ticas, os ca√ßadores americanos foram apenas permitidos a tomar dois patos-carolino por dia, nas rotas migrat√≥rias do Atl√Ęntico e Mississippi. Contudo, para a temporada de 2008-2009, o limite subiu para tr√™s. O limite do pato-carolino permanece em dois na rota migrat√≥ria central e em sete na rota do Pac√≠fico. √Č o segundo pato mais ca√ßado na Am√©rica do Norte, depois do pato selvagem.
 
 
Na cultura popular
 
Em 2013, a RoyalCanadianMint criou duas moedas para comemorar o pato-carolino. As duas moedas s√£o cada uma parte de um conjunto de tr√™s para ajudar a promover a DucksUnlimited no Canad√°, bem como para celebrar o seu 75¬ļ anivers√°rio.